A história do futebol feminino do Brasil tem  todos os ingredientes de uma novela de grande  sucesso. Não faltam na área dramática as  dificuldades financeiras, o choro nas derrotas,  a discriminação por idade, aparência. Mas com  o futebol de novos talentos  e a volta à Seleção  a garra e experiência da Maycon e da Tânia  Maranhão, uma capitã por mérito, ao lado da  nossa super Formiga. As meninas do Brasil  superaram a pressão da torcida, o inclemente calor, o gramado sintético…
O esforçado time mexicano…

E, principalmente, as ausências de Marta e Cristiane, duas das melhores jogadoras do mundo…

O Brasil venceu a semifinal por 1 a 0 e vai decidir a medalha de ouro.

O choro de Maurine misturou alegria e profunda dor.

Um dia depois do seu pai falecer no Brasil, ela marcou o gol que classificou a Seleção.

Foi uma lição de superação, de amor ao futebol, uma homenagem à sua família…

Ela representou o verdadeiro espírito de um esportista dedicado ao que faz.

Parabéns técnico Kleiton Lima e meninas por construirem a partir das lágrimas mais um final feliz. Vocês são ouro.