Goleira Vivi lamenta derrota brasileira

A Seleção Brasileira de Futebol Feminino Universitária, em parceria com a Federação Paulista de Futebol, dirigida pelo técnico Kleiton Lima, enfrentou a Seleção da China, nessa sexta-feira (19 de agosto), pela semi-final dos Jogos Olímpicos Universitários (Universíade)e empatou no tempo regulamentar com as donas da casa em 1 a 1.

O confronto aconteceu no Estádio Baoan, em Shenzhen na China, com a TV Chinesa transmitindo e com o público de aproximadamente 42 mil torcedores. O jogo foi equilibrado no primeiro tempo com muita marcação e faltas, porém as duas equipes tentavam buscar a gol. A China vindo para cima do Brasil, que bem postado usava dos contra ataques para surpreender as donas da casa.

O primeiro da partida foi com penalidade máxima para as chinesas que converteram abrindo o marcador com a capitã Bi Yan. Com um quarteto de arbitragem era asiático e as assistentes eram chinesas, a partir daí tudo ficou mais complicado para o Brasil. Faltas invertidas contra o Brasil que sempre era parado nos contra ataques pela árbitra que amarrava o jogo a favor das chinesas. Sem falar nos impedimentos duvidosos que eram marcados pela arbitragem “caseira”.

Já no segundo tempo a equipe brasileira se acertou dentro de campo, criou várias oportunidades de gol. Aos 35 minutos em uma bela triangulação, quase que o Brasil conseguiu o empate, porém o gol só veio aos 47 minutos da etapa complementar, quando a atacante Daniele após receber um lançamento dentro da área dominou e chutou no canto oposto da goleira, a bola bateu na trave e entrou. O Brasil empatou a partida e levou a decisão para os pênaltis.

Nas cobranças, Thaisinha (Vitoria/PE) teve a sua defendida pela goleira chinesa e a goleira brasileira Viviane (Centro Olímpico/SP) pegou a cobrança batida pela capitã e autora do gol da partida Bi Yan.

Na sequência, Debinha (Centro Olímpico/SP), Daniele (Vasco da Gama/RJ) e Ketlen (Vitória/PE)  converteram e no ultimo Giovanna (Centro Olímpico/SP) desperdiçou.

Ficou então, nos pés da chinesa Pang, a última cobrança que converteu classificando a China para a final.

O Brasil sem perder nenhuma partida, ficará fora da final. Na outra semi-final o Japão ganhou da França de 3 a 2.

Sendo assim, a China enfrentará o Japão no domingo (21 de agosto) na decisão da medalha de ouro e o Brasil no mesmo dia enfrentará a França na disputa do bronze.

A Seleção Brasileira de Futebol Feminino Universitária, em parceria com a Federação Paulista de Futebol, dirigida pelo técnico Kleiton Lima, enfrentou a Seleção da China, nessa sexta-feira (19 de agosto), pela semi-final dos Jogos Olímpicos Universitários (Universíade)e empatou no tempo regulamentar com as donas da casa em 1 a 1.

O confronto aconteceu no Estádio Baoan, em Shenzhen na China, com a TV Chinesa transmitindo e com o público de aproximadamente 42 mil torcedores. O jogo foi equilibrado no primeiro tempo com muita marcação e faltas, porém as duas equipes tentavam buscar a gol. A China vindo para cima do Brasil, que bem postado usava dos contra ataques para surpreender as donas da casa.

O primeiro da partida foi com penalidade máxima para as chinesas que converteram abrindo o marcador com a capitã Bi Yan. Com um quarteto de arbitragem era asiático e as assistentes eram chinesas, a partir daí tudo ficou mais complicado para o Brasil. Faltas invertidas contra o Brasil que sempre era parado nos contra ataques pela árbitra que amarrava o jogo a favor das chinesas. Sem falar nos impedimentos duvidosos que eram marcados pela arbitragem “caseira”.

Já no segundo tempo a equipe brasileira se acertou dentro de campo, criou várias oportunidades de gol. Aos 35 minutos em uma bela triangulação, quase que o Brasil conseguiu o empate, porém o gol só veio aos 47 minutos da etapa complementar, quando a atacante Daniele após receber um lançamento dentro da área dominou e chutou no canto oposto da goleira, a bola bateu na trave e entrou. O Brasil empatou a partida e levou a decisão para os pênaltis.

Nas cobranças, Thaisinha (Vitoria/PE) teve a sua defendida pela goleira chinesa e a goleira brasileira Viviane (Centro Olímpico/SP) pegou a cobrança batida pela capitã e autora do gol da partida Bi Yan.

Na sequência, Debinha (Centro Olímpico/SP), Daniele (Vasco da Gama/RJ) e Ketlen (Vitória/PE)  converteram e no ultimo Giovanna (Centro Olímpico/SP) desperdiçou.

Ficou então, nos pés da chinesa Pang, a última cobrança que converteu classificando a China para a final.

O Brasil sem perder nenhuma partida, ficará fora da final. Na outra semi-final o Japão ganhou da França de 3 a 2.

Sendo assim, a China enfrentará o Japão no domingo (21 de agosto) na decisão da medalha de ouro e o Brasil no mesmo dia enfrentará a França na disputa do bronze.

A Seleção Brasileira de Futebol Feminino Universitária, em parceria com a Federação Paulista de Futebol, dirigida pelo técnico Kleiton Lima, enfrentou a Seleção da China, nessa sexta-feira (19 de agosto), pela semi-final dos Jogos Olímpicos Universitários (Universíade)e empatou no tempo regulamentar com as donas da casa em 1 a 1.

O confronto aconteceu no Estádio Baoan, em Shenzhen na China, com a TV Chinesa transmitindo e com o público de aproximadamente 42 mil torcedores. O jogo foi equilibrado no primeiro tempo com muita marcação e faltas, porém as duas equipes tentavam buscar a gol. A China vindo para cima do Brasil, que bem postado usava dos contra ataques para surpreender as donas da casa.

O primeiro da partida foi com penalidade máxima para as chinesas que converteram abrindo o marcador com a capitã Bi Yan. Com um quarteto de arbitragem era asiático e as assistentes eram chinesas, a partir daí tudo ficou mais complicado para o Brasil. Faltas invertidas contra o Brasil que sempre era parado nos contra ataques pela árbitra que amarrava o jogo a favor das chinesas. Sem falar nos impedimentos duvidosos que eram marcados pela arbitragem “caseira”.

Já no segundo tempo a equipe brasileira se acertou dentro de campo, criou várias oportunidades de gol. Aos 35 minutos em uma bela triangulação, quase que o Brasil conseguiu o empate, porém o gol só veio aos 47 minutos da etapa complementar, quando a atacante Daniele após receber um lançamento dentro da área dominou e chutou no canto oposto da goleira, a bola bateu na trave e entrou. O Brasil empatou a partida e levou a decisão para os pênaltis.

Nas cobranças, Thaisinha (Vitoria/PE) teve a sua defendida pela goleira chinesa e a goleira brasileira Viviane (Centro Olímpico/SP) pegou a cobrança batida pela capitã e autora do gol da partida Bi Yan.

Na sequência, Debinha (Centro Olímpico/SP), Daniele (Vasco da Gama/RJ) e Ketlen (Vitória/PE)  converteram e no ultimo Giovanna (Centro Olímpico/SP) desperdiçou.

Ficou então, nos pés da chinesa Pang, a última cobrança que converteu classificando a China para a final.

O Brasil sem perder nenhuma partida, ficará fora da final. Na outra semi-final o Japão ganhou da França de 3 a 2.

Sendo assim, a China enfrentará o Japão no domingo (21 de agosto) na decisão da medalha de ouro e o Brasil no mesmo dia enfrentará a França na disputa do bronze.

Resultados da Seleção Feminina do Brasil na Universíade:

11/08 – 1ª Fase – Brasil 2 x 0 França – Gols: Daniele e Thais Guedes
13/08 – 1ª Fase – Brasil 3 x 1 Japão – Gols: Daniele (2) e Thais Guedes (1)
15/08 – 1ª Fase – Brasil 5 x 1 Estônia – Gols: Ketlen (2), Daniele, Debinha, Marcela
17/08 – Oitavas – Brasil (3) 0 x 0 (1) México
19/08 – Semifinal – Brasil (3) 1 x 1 (4) China – Gol: Daniele
21/08 – 3º lugar – Brasil x França